Belo Monte, Anúncio de uma Guerra - filme completo

Pedagiometro de Serra

Arquivos

Fotos das atividades do IZB


By Erik Rasmussen

FILME DESTRÓI IMAGEM DO MC’DONALDS: "Super Size Me – A Dieta do Palhaço"

Uma crítica mordaz à multinacional MC’Donalds e seu palhaço Ronald, que incentivam o consumo de alimentos que são um verdadeiro veneno para a saúde pública mundial
"Super Size Me – A dieta do palhaço" é um documentário americano de 2004, escrito, produzido, dirigido e protagonizado por Morgan Spurlock, um cineasta independente americano.
No filme, Spurlock segue uma dieta de 30 dias (fevereiro de 2003) durante os quais sobrevive em sua totalidade com a alimentação e a compra de artigos exclusivamente do McDonald’s. O filme documenta os efeitos que tem este estilo de vida na saúde física e psicológica, e explora a influência das indústrias da comida rápida.
Durante a gravação, Spurlock comia nos restaurantes McDonald’s três vezes ao dia, chegando a consumir em média 5000 kcal (o equivalente de 6,26 Big Macs) por dia durante o experimento.
Antes do início deste experimento, Spurlock, comia uma dieta variada. Era saudável e magro, e media 188 cm de altura com um peso de 84,1 kg. Depois de trinta dias, obteve um ganho de 11,1 kg, uns 13% de aumento da massa corporal deixando seu índice de massa corporal em 23,2 (dentro da faixa "saudável" 19-25) a 27 ("sobrepeso"). Também experimentou mudanças de humor, disfunção sexual, e dano ao fígado. Spurlock precisou quatorze meses para perder o peso que havia ganhado.
O fator que motivou Spurlock para fazer a investigação foi a crescente propagação da obesidade em todos os Estados Unidos, que o diretor do serviço público de saúde americano tinha declarado como "epidemia", e a correspondente demanda judicial contra o McDonald’s em nome de duas meninas com sobrepeso, que alegaram que se converteram em obesas como resultado de comer alimentos do McDonald’s. Spurlock disse que apesar do processo contra McDonald’s ter falhado, grande parte da mesma crítica contra as companhias de tabaco se aplica às franquias de comida rápida. Embora se possa argumentar que a comida rápida, ainda seja psicologicamente viciante, não é tão viciante como nicotina.
O filme foca o Mc Donald’s como um dos representantes da indústria alimentar americana, que criou tamanhos exagerados de porções e que, sempre que possível, induz ao consumo de mais e maiores porções, fazendo com que a população consuma muito além do necessário para uma alimentação saudável. O documentário foi nomeado para um Oscar na categoria de melhor documentário longa.
Cobaia
À medida que o filme começa, Spurlock está fisicamente acima da média (boa saúde), como é demonstrado por três médicos (um cardiologista, um gastroenterologista, e um clínico geral), assim como uma nutricionista e um preparador físico. Ele é orientado pelos cinco para realizar a avaliação da sua saúde durante o mês de duração do ‘experimento’. Todos os profissionais da saúde predizem o "Mc Mess" terá efeitos indesejáveis sobre seu corpo, porém ninguém esperava nada demasiado drástico, citando o corpo humano como "extremamente adaptável".
Spurlock começa o mês com um café da manhã perto de sua casa em Manhattan, onde há em média quatro McDonald’s (1 para cada 66.950 habitantes) por milha quadrada (1,6 km ²). Também opta por viajar em táxis com maior frequência, já que pretende manter as distancias que caminha em linha com os 5000 passos (aproximadamente duas milhas) que por dia caminhava a média dos americanos. Spurlock estabeleceu várias regras que regeram seus hábitos alimentares no mês ‘MC’Donalds’:
* Deveria plenamente comer em McDonald’s três comidas por dia
* Deveria escolher cada item no menu do McDonald’s ao menos uma vez durante o transcurso dos 30 dias.
* Deveria ingerir só os itens do menu da rede de lanchonetes. Isto incluía até a água engarrafada.
* Deveria escolher o tamanho "Super Size" de sua comida sempre que lhe fosse oferecido (um dos itens, por exemplo, é de um copo gigante de refrigerante, com 2 litros).
* Deveria aceitar todas as promoções oferecidas para que ele comprasse mais comida que a intencionada inicialmente.
* Teria de caminhar a média que se caminha nos Estados Unidos, sobre a cifra de 5000 passos ao dia, porém isto não era rígido, já que ele caminhou relativamente mais, em comparação do que se caminha em Nova York que em Houston.
Vômito
No dia 2 Spurlock come pela primeira vez o tamanho Super Size, que leva cerca de uma hora para consumir. A experiência foi o aumento de seu estomago durante o processo, que culmina com Spurlock vomitando no caminho de volta para casa.
Depressão e vício
Depois de cinco dias Spurlock havia ganhado quase 10 libras (4,5 kg). Não passa muito tempo antes que se encontre a si mesmo com uma sensação de depressão, e ele considera que seus episódios de depressão, letargia e dores de cabeça são causados pela comida do McDonald’s. Um médico descreveu-o como "viciado".
Problemas sexuais
A noiva de Spurlock, Alexandra Jamieson, é uma testemunha para o fato de Spurlock ter perdido muita da sua energia e desempenho sexual durante a sua experiência. Não está claro se Spurlock seria capaz de completar o mês (30 dias) devido aos elevados teores de gordura e carboidrato de sua dieta; seus amigos e familiares começaram a preocupar-se.
Palpitações no coração
Próximo do vigésimo dia, Spurlock havia sentido estranhas palpitações no coração. Consultando seu médico particular, o doutor Daryl Isaacs lhe aconselha parar o que está fazendo de imediato para evitar qualquer tipo de graves problemas de saúde. Apesar desta advertência, Spurlock decide continuar com o teste. Mais tarde declarou em uma entrevista que, apesar das preocupações e objeções da maior parte das pessoas próximas a ele, era seu irmão mais velho que o motivou a continuar com sua experiência. "Morgan, a gente comeu esta merda toda sempre. Acha mesmo que vai te matar se você comer os outros 9 dias?"
Danos no fígado
Spurlock chega ao trigésimo dia e atinge o seu objetivo. Em trinta dias, Spurlock comeu o tamanho "Super Size" em sua refeição em nove ocasiões ao longo do caminho (dos quais cinco foram no Texas). Os três médicos ficaram surpresos com o grau de deterioração da saúde de Spurlock. Um deles afirmou que era irreversível o dano causado ao seu fígado, que pode sofrer, além disso, um ataque ao coração, mesmo perdendo todo o peso ganho durante o experimento. Ele disse que nesse período comeu mais refeições no McDonald’s do que um nutricionista recomenda comer em 8 anos.
(Extraído de Wikipedia – A Enciclopédia Livre, em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Super_Size_Me)

Veja Também:

  1. CCJ do senado aprova fim do superávit primário
  2. Filme do enterro de Edson Luis é achado 40 anos depois
  3. Filme – Ao Sul da Fronteira
  4. TV Brasil Internacional vai mostrar verdadeira imagem do país para o mundo, diz Lula
  5. A imagem do MST segundo a CNA

Leave a Reply

  

  

  


*

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>